Como validar o boletim escolar do Canadá no seu retorno para o Brasil

Como validar o boletim escolar do Canadá no seu retorno para o Brasil

Sim, amigos, morar no Canadá não foi para sempre. E como nosso filho cursou a Grade 6 de uma Elementary Public School, tivemos que validar o boletim dele ainda em Toronto, antes de voltar para o Brasil.

Ao retirar o report card, ou seja, o boletim do seu filho na secretaria, tenha certeza que todas as páginas estão com o carimbo da escola. Sem isso, você não consegue validar o documento no Consulado Brasileiro.

É isso mesmo e não é um detalhe: todas as páginas do Report Card PRECISAM estar carimbadas pela escola – é uma exigência do Consulado Brasileiro em Toronto. Clique aqui e veja as demais exigências.

O nome desse processo é Legalização de Documentos Escolares e atualmente custa CAD7,50 por cada documento. Você deve ir ao Consulado Brasileiro, deixar o documento e após alguns dias retornar para buscar o documento legalizado. No seu retorno ao Brasil, você precisará fazer uma tradução juramentada que será usada na matrícula da escola ou instituição de ensino.

Planeje-se e não deixe esse “detalhe” para última hora. Tem gente que marca a viagem de retorno ao Brasil no dia seguinte ao término de seus estudos no Canadá e depois fica sofrendo para conseguir resolver essas burocracias à distância. Fica a dica!

 

Anúncios

Como preparar seu filho para a escola no Canadá

Como preparar seu filho para a escola no Canadá

Se você tem filhos em idade escolar, em especial crianças pequenas e pré-adolescentes, e está pensando ou já decidiu morar no Canadá, certamente, em algum momento, vai pensar em como será a adaptação das crianças na escola canadense.

É comum ouvirmos que as crianças se adaptam rápido e que não enfrentam nenhuma dificuldade, mesmo aquelas que não sabem nada de inglês ou francês.

Mas, será que é assim mesmo? Bom, nós somos daqueles que não acreditamos muiiitoo nisso não e resolvemos não arriscar.

Continue lendo “Como preparar seu filho para a escola no Canadá”